Disco: "Serotonin", Mystery Jets

É o dilema clássico do rock. Evoluir ou se repetir? A pergunta que já levou muitas bandas para o buraco é encarada pelo Mystery Jets neste terceiro álbum (quarto, se contarmos o lançamento de “Zootime” nos EUA, mistura do primeiro álbum com o EP “Flotsam and Jetsam”). Seguindo o exemplo de grandes bandas, eles optaram pela não-repetição, o que não quer dizer que eles evoluiriam exatamente.

Esqueça o clima pulsante do disco anterior, “Twenty One” de 2008, e os fortes singles feitos para acabarem em bons remixes. A banda que começou com aspirações psicodélicas, mas parecia só mais um do grupo britânico desesperado pelo hype, mostra maturidade para encarar suas verdadeiras influências, testar suas habilidades e encontrar uma assinatura própria em seu novo álbum.

“Seretonin” é mais climático, preza pelos detalhes, pelos bons refrões e harmonias vocais. Basta notar as mudanças de dinâmica em “Alice Springs”, o assobio grudento de “Flash A Hungry Smile” ou ainda o ótimo vocal e refrão de “Dreaming of Another World”. São detalhes de banda atenta, preocupada com cada timbre de guitarra. Provavelmente também por conta do grande produtor Chris Tomas, que tem no currículo Pink Floyd, Sex Pistols, INXS e até Beatles (ele foi assistente de George Martin).

Não é um disco perfeito, no entanto. As linhas de baixo marcantes do baixista Kai Fish presentes em todos os outros discos, estão em segundo plano. São substituídas pela maior presença dos teclados, ora um pouco deslocados, quase bregas em “Too Late To Talk”, ora fazendo muito bem o riff de introdução na faixa-título “Serotonin”.

É óbvio que uma “Young Love” ou “Two Doors Down” da vida não fariam mal algum, mas colocando as idéias em ordem fica claro que a opção tomada pelo grupo é a mais inteligente e os coloca como uma banda que merece atenção e promete discos melhores ainda no futuro. São garotos crescendo,  se continuarem produzindo faixas como “Melt” e Lorna Doone”, deve terminar em coisa boa.

[“Serotonin”, Mystery Jets. 11 faixas com produção de Chris Tomas. Lançado pela Rough Trade em Julho de 2010.]
[rating: 3/5]

Esse post foi publicado em Sem categoria. Bookmark o link permanente.

2 respostas para Disco: "Serotonin", Mystery Jets

  1. Pingback: Tweets that mention Disco: “Serotonin”, Mystery Jets | Bloody Pop -- Topsy.com

  2. Guy disse:

    Boa resenha. Sou fã do segundo CD deles, o cd me lembra algo bem antigo, anos 60. Uma tentativa acertada de Last Shadow. Gostei mesmo da resenha, vlw.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s