Repeat: "Artaud", Pescado Rabioso

repeatok

artaud - tapa

Muito se fala de artistas ingleses, americanos, canadenses, suecos, etc. Mas sempre esquecemos, que nossos  vizinhos mais próximos, também fazem música. Talvez por falarmos português, não fazemos a comum troca entre as outras culturas latinas. Nunca vemos bandas da América do Sul aparecer e tocar por aqui, é como se não existissem.

Mesmo assim, têm coisas muito boas saindo dos nossos vizinhos. Mas antes de falar de bandas novas, vamos lá atras na história do Rock do nosso maior rival no futebol e escutar um sujeito chamado Luis Alberto Spinetta, também conhecido como Pescado Rabioso. Um dos maiores gênios da música argentina.

Nascido em Buenos aires na década de 50, Spinetta, é responsável, por duas das maiores bandas do rock argentino, Almendra e Pescado Rabioso. Vamos deixar de lado o Almendra, e vamos focar no projeto mais ambicioso e famoso, o Pescado Rabioso. Depois do fim do Almendra, Spinetta criou o Pescado Rabioso em 1971. O primeiro disco, “Desatormentãndonos”, saiu em 72 e contava com a participação de outros 2 gigantes da música argentina, o baixista David Lebón e o tecladista Carlos Cutaia. Para o segundo disco, a banda se duplicou e com sérios problemas de produção (muito comum nesta época na Argentina), gerou-se na banda várias brigas o que veio a se culminar em uma separação. Com o fim da banda, Spinetta não quis perder o nome de Pescado Rabioso e gravou um disco onde compôs e tocou todas as músicas. Mas mesmo assim creditou o disco a seus ex-colegas de Pescado.

Talvez não exista nada igual a “Artaud”. O seu resultado, em termos musicais, pode ser comparado a discos como, “Pink Moon”de Nick Drake e a Joni Mitchell. Apesar de ter faixas com complexos arranjos, o disco, se faz nas músicas onde só escutamos Spinetta cantar suas poesias e tocar seu violão, como ouvimos em, “Todas Las Hojas Son Del Viento”, “Por” e “La Sed Verdadera”, faixas na qual ha um grande sentimento de intimidade com o cantor.

Além de ter sido inspirado pelo poeta e dramaturgo que dá nome ao disco, Spinetta, se influenciou nas cartas que Van Gogh escreveu a seu irmão e no poeta francês Rimbaud. Com isso, as letras, tem um toque surrealista, como é notável em “Por” onde Spinetta canta/fala nada mais que palavras aleatórias (ARBOL, HOJA, SALTO, LUZ, APROXIMACION…).

O disco ainda conta com as deliciosas ‘Supercheria” e “Las Habladurías Del Mundo”, onde Spinetta mostra seu lado guitarrista e sua influência no hard rock de bandas como Led Zeppelin. Fazendo um blues/rock, único com seu estilo vocal como marca somado a complexas e obscuras harmonias e acordes de guitarra.

O álbum é um marco tão grande na história da música argentina, que há 2 anos a Rolling Stones latina o elegeu como o maior álbum de rock da história do páis. Pescado Rabioso e Spinetta talvez esteja para a Argentina como os Mutantes estão para o Brasil, em matéria de sucesso mundial.

O álbum é difícil de ser encontrado no Brasil, como a maioria das bandas latino-americanas, mas há sites e blogs dedicados ao rock argentino e lojas online onde se pode encontrar o clássico.

Esse post foi publicado em Sem categoria. Bookmark o link permanente.

Uma resposta para Repeat: "Artaud", Pescado Rabioso

  1. marcus disse:

    O Spinetta gravou, nos 80, um disco com o Fito Paez que é excelente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s