Aqueles Queridos Anos 2000: "Sound Of Silver", LCD Soundsystem

por Tomás Pinheiro

Se tem uma persona que marcou essa década foi esse tal de James Murphy. O “mastermind” por trás de uma das principais gravadoras dessa década, a DFA, e o cérebro para o LCD Soundsystem, Murphy virou meio que um deus na indústria. Tudo que ele toca acaba virando ouro (ouça DFA compilation #2), e não é a toa, que dois discos de sua banda estejam em várias listas de melhores da década. “Sound Of Silver”, o segundo, é sem dúvida o melhores deles. Um híbrido quase perfeito entre rock e dance music.

“Sound Of Silver” não tem uma faixa fraca e muitas delas acabaram se tornando hinos dessa década. O que dizer de “Someone Great”, provavelmente a mais intensa meditação sobre perda (e que batida!) feita nos últimos anos? “All My Friends”? “O” hino que nos atropela como um trem, com o refrão mais grito-de-desabafo da década. A mistura de Zappa com Brian Eno em “Get Innocuous!”. A space-disco viajante de 8 mintuos que da nome ao disco. Tudo aqui é simplesmente incrível.

O primeiro disco do LCD foi uma obra pessoal de Murphy: ele basicamente tocou, criou, e finalizou tudo no disco. Já o “Sound Of Silver” é um álbum de banda, sem a qual grande parte desse disco não existiria. O lado pessoal de James também está presente em faixas como “New York I Love You But You’re Bringing Me Down” um anti-hino à cidade que definiu quem é James Murphy e a quem ele ajudou a definir.

Mesmo seguindo como ídolo indie, Murphy tem lá suas vontades comerciais. “Sound Of Silver” é dotado de um senso comercial incomum. Não é um produto para poucos. Pelo contrário, Murphy sempre expressou a vontade de ser o número 1 na Billboard, de fazer música para as massas – o que acabou tornando o LCD Soundsystem numa dos grupos mais bem sucedidos da sua geração. Quem sabe o vindouro terceiro álbum, lançamento dos mais esperados pela EMI esse, entre na lista dos mais vendidos? Enquanto espero, vou lá dançar, cantar, me emocionar e pular ao som de um álbum que deixa um legado tanto a dance music, quanto ao rock.

Esse post foi publicado em Sem categoria. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s