Disco: "Transference", Spoon

Ouvindo esse “Transference”, acho que cheguei a uma conclusão definitiva sobre o Spoon: eles não conseguem errar. Nem se eles quisessem, o resultado não seria menos do que um disco com música original e estranhamente viciante.

Pelo menos desde “Girls Can Tell”, de 2001, eles vêm intercalando álbuns com produções meticulosas e canções precisas, e outros com foco em climas e interação entre os instrumentistas. “Transference” é certamente esse segundo tipo de álbum. Não se engane, porém, pensando que esse é um disco lo-fi ou que há solos e grooves intermináveis. Aqui a banda continua usando os seus dois instrumentos característicos: o próprio estúdio de gravação e aquele pianinho insistente, que aparece aqui e acolá para marcar alguma mudança de direção nas músicas.

“Transference” não tem aquela qualidade de clássico instantâneo do disco anterior, “Ga Ga Ga Ga Ga”. Este trabalho acaba funcionando mais como uma compilação de lados B do que uma de hits, dando a impressão de que a banda quis pegar uma estrada menos viajada desta vez. E o resultado foi um disco que parece cru e inacabado, mas que é tão  criativamente satisfatório quanto os anteriores.

A fluência de “Transference” é ótima, começando pra valer com “Is Love Forever?”, mistura de urgência com uma produção cheia de pequenos detalhes. Os destaques do disco não incluem o primeiro single, “Got Nuffin”, mas um trio de canções: o segundo single e a faixa mais acessível, “Written in Reverse”, a atmosférica “Who Makes Your Money” e a surpreendente “I Saw the Light”. Depois da primeira metade com ritmos mais acelerados, o álbum nos apresenta canções raras na discografia do Spoon. “Goodnight Laura” é uma balada simples e “Out Go the Lights” tem um clima meditativo estranho à banda.

“Transference” provavelmente não vai conquistar um monte de novos seguidores para a banda, mas com certeza vai ser guardado como um disco importante pelos seus fãs. Nessa altura do campeonato, depois de 15 anos de carreira, o Spoon soa como o Spoon, e mais ninguém. Mas o legal é que a cada vez eles conseguem tirar da cartola um Spoon diferente. Esperemos pelo próximo, então.

[“Transference”, Spoon. 11 faixas com produção da própria banda. Lançado em janeiro de 2010 pela Merge Records.]

[rating: 4/5]

Esse post foi publicado em Sem categoria. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s