Disco: "Art Brut vs. Satan", Art Brut

art_brut-vs-satan-album-art

O que seria de uma banda que, em seu primeiro CD em 2005, logo na primeira música já chegou afirmando: “Formed a band/ We formed a band/ Look at us/ We formed a band”? Será que uma banda que não se leva sério e não tem grandes músicos, pode ter um futuro? Essa talvez seja a grande virtude do Art Brut: não se levar a sério. Foram tentar isso, no segundo CD, e deu no que deu (alguém ai se lembra que o Art Brut lançou um segundo CD?).

Para esse novo CD, o lendário frontman do Pixies Frank Black foi recrutado para produzir o disco. Logo na primeira música, “Alcoholics Unanimous”, o primeiro single do CD, já é possível ouvir algumas diferenças, principalmente no som da guitarra, mas o estilo continua o mesmo definido pelo própio cantor e líder da banda Eddie Argos, “Punk as Fuck”.

Mas o forte do Art Brut, sempre foi as tristes e engraçadas composições de Argos (que foi apontado em 2005 pela NME como o “novo Jarvis Cocker”). A ironia, o humor e a crítica estão de volta nesse CD (graças a deus). Como acontece na ótima e autobiográfica, “DC Comics and Chocolate Milkshake” onde Eddie, declara “From delivering post to serving beer/I’ve never had much of a career”, e com isso afirma que as melhores coisas da vida são, revistinhas em quadrinhos e milshakes de chocolate. Logo em seguida,  em “The Passenger”Argos faz uma inversão do famoso hino ao isolamento  do Iggy Pop de  mesmo nome, falando, “Some People Hate the Bus/ Not me/ I can’t get enough”. A melhor do CD vai para Demons Out!, onde Eddie luta contra o lixo produzido pelo mainstream e idolatrados pelo “público comprador de disco” dizendo: “This is Art Brut versus Satan/The record buying public, we hate them!”.

Outro destaque é “Slap Dash for No Cash” , onde o pitoresco frontman mostra porque é talvez o melhor observador da cultura pop atualmente , questionando o porque de hoje todas as banda quererem soar épicas? (“Why is everyone trying to sound like U2?/ Why would you want to?”). E para fechar com chave de ouro (viva o chavão), vem a apoteótica “Mysterious Bruises” 7 minutos de um funk agitado no melhor estilo Talking Heads, com frases merecedoras de prêmios (“I can’t remember anything I’ve done/I fought the floor and the floor won!”).

É com todo gosto que digo, Art Brut voltou! Eddie Argos, e seus colegas estão de volta, batendo na sua porta, querendo fazer você fazer rir, chorar, e principalmente, se lembrar de porque você era viciado neles.

[“Art Brut Vs. Satan”, Art Brut. 12 faixas com produção de Frank Black. Lançado pela Downtown Records/Cooking Vinyl em Maio de 2009]

[rating: 3.5/5]

Esse post foi publicado em Sem categoria. Bookmark o link permanente.

3 respostas para Disco: "Art Brut vs. Satan", Art Brut

  1. Cristiano disse:

    Gostei muito do que escreveu sobre eles!! E me sinto igual em relação ao segundo disco deles. E tô louco para ouvir esse novo! Valeu!

  2. Pingback: [Álbum] “Art Brut vs Satan”, Art Brut at IN NEW MUSIC WE TRUST

  3. Manu(ell) disse:

    Gostaria de fazer uma parceria.
    Vcs aceitam?
    Gostei muito do blgo, muito completo.

Deixe uma resposta para Cristiano Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s